Sugestões de Leitura

   

O Deus das Moscas

 
Autor: William Golding
Editor: Público
Colecção: Mil Folhas
Páginas: 222
Ano de publicação: 2002
ISBN: 84-8130-506-5
(Ler+ - livro recomendado pelo PNL - Plano Nacional de Leitura) 

Disponível na biblioteca.

 

[Primeiro parágrafo] 
"O garoto de cabelo cor-de-mel agachou-se, deixou-se escorregar ao longo do último troço do rochedo e encaminhou-se para a lagoa. Embora tivesse tirado o blusão, parte do seu uniforme escolar, e o arrastasse agora pela mão, a camisa cinzenta colava-se-lhe à pele e o cabelo encodeava-se-lhe na testa. À sua volta, a funda clareira rasgada na selva era um banho de calor. Rompia pesadamente por entre as lianas e os troncos quebrados, quando um pássaro, uma visão de vermelho e amarelo, cintilou numa fuga para o alto com um grito de feitiço. A este grito o eco respondeu com outro." (in O Deus das Moscas, p.5, Ed. Público, 2002)

O Deus das Moscas (The Lord of Flies), tem sido uma obra lida por sucessivas gerações de leitores em todo mundo, sendo que só nos países de língua inglesa regista mais de "14 milhões de cópias vendidas" (vide badana da capa da edição Público, Col. Mil Folhas, 2002), fora as inúmeras traduções em muitos países. [Leia mais aqui]

A confissão da leoa

Novidade na estante - sugestão de leitura de uma obra já disponível no catálogo; o novo romance de Mia Couto, marcado pela sua voz inconfundível e o seu mágico universo, a tocar o cerne dos nossos medos receios e construções do real. 

Primeiras linhas...

"Deus já foi mulher. Antes de se exilar para longe da sua criação e quando ainda não se chamava Nungu, o atual Senhor do Universo parecia-se com todas as mães deste mundo. Nesse outro tempo, falávamos a mesma língua dos mares, da terra e dos céus. O meu avô diz que esse reinado há muito morreu. mas resta, algures dentro de nós, memória dessa época longínqua. Sobrevivem ilusões e certezas que, na nossa aldeia de Kulumani, são passadas de geração em geração.Todos sabemos, por exemplo, que o céu ainda não está acabado. São as mulheres que, desde há milénios, vão tecendo esse infinito véu." [p.15]

Autor: Mia Couto

Editor: Editorial Caminho

Edição/reimpressão: 2012

Páginas: 272

ISBN: 9789722125673

Disponível na biblioteca.

 

Sinopse:

“Um acontecimento real – as sucessivas mortes de pessoas provocadas por ataques de leões numa remota região do norte de Moçambique – é pretexto para Mia Couto escrever um surpreendente romance. Não tanto sobre leões e caçadas, mas sobre homens e mulheres vivendo em condições extremas. A Confissão da Leoa é bem um romance à altura de Terra Sonâmbula e Jesusalém, já conhecidos do leitor português.” [fonte: Caminho]