Evocação do Centenário da 1.ª Grande Guerra

16-03-2017 19:18
Seguir atentamente uma lição de história e civismo, ouvir contar estórias com que a História se tece é, naturalmente, um profícuo momento de literacia. E foi isso o que aconteceu esta manhã na sala de leitura da biblioteca escolar da ES Alcaides de Faria, espaço de literacias. Pelas imagens projetadas e pelas palavras do bibliotecário municipal, Victor Pinho, alunos de 9.º e 11.º anos recuaram no tempo, até há segunda década do Séc. 20, mais propriamente à eclosão e desenvolvimento de um dos mais mortíferos conflitos que a Europa conheceu - A Grande Guerra de 1914 - 1918. Apoiado em dados históricos sobre aquele conflito, onde pereceram milhões de seres humanos, entre soldados e população civil, Victor Pinho, para além de elencar marcos históricos daquele momento fracturante para a história da Europa e do Mundo, focalizou também a sua abordagem na participação de Portugal na 1.ª Guerra. Mais de 100 000 soldados portugueses envolvidos, largos milhares de mortos e outros tantos feridos e estropiados, milhares de prisioneiros, numa intervenção que mobilizou também soldados naturais do concelho de Barcelos, homens que partiram para uma guerra extremamente dura e traumatizante. 
Ao longo da palestra, seguida atentamente pelos jovens presentes, Victor Pinho não apenas referiu factos, apresentou documentos fotográficos, citou autores, como Penteado Neiva, historiador que lançou um livro sobre "Barcelos na 1.ª Grande Guerra", ou mencionou ainda o recente documentário fílmico - "Lutaram como Diabos" - sobre combatentes barcelenses nessa guerra, como contou ainda pequenas histórias relacionadas com alguns desses homens que da terra barcelense partiram (no Corpo Expedicionário Português - CEP) com destino aos campos de batalha de França, Flandres e outras paragens. 
Voltar